60 anos da UFJF: Memórias em Arquivos

Compartilhe

REALIZAÇÃO
Arquivo Central da UFJF, Memorial da República Presidente Itamar Franco e Centro de Conservação da Memória

Os muitos anos que virão
Tarcísio Greggio

Alguém sabe onde fica a Bacia do Córrego da Serrinha? 

Em seus 60 anos de história, milhares de pessoas já passaram pela Universidade Federal de Juiz de Fora, mas quase ninguém deve ter ouvido falar da Bacia do Córrego da Serrinha, onde ficava um terreno com área de 831.610 m2, “confrontado por seus diferentes lados com o Instituto Profissional Dom Bosco”. 

Pois esse foi o terreno que a Prefeitura Municipal doou à então Universidade de Juiz de Fora, em 1963, para que ela construísse seu Campus – ou Cidade Universitária, como se dizia na época. 

A Universidade de Juiz de Fora incorporou o termo “Federal” ao seu nome em 1965, por força da Lei nº 4.759, de 20 de agosto de 1965, mas ela foi criada em 1960. Assinada pelo Presidente Juscelino Kubitschek, a Lei nº 3.858, de 23 de dezembro de 1960, reuniu e federalizou as Faculdades de Direito, Medicina, Ciências Econômicas, Odontologia e Farmácia de Juiz de Fora, além da Escola de Engenharia, onde Itamar Franco se formou em 1954. 

Prefeito de Juiz de Fora por dois mandatos (1967 a 1971; 1972 a 1974), Itamar Franco acompanhou de perto as obras do portão norte da UFJF, que liga o Campus ao bairro São Pedro, e fica ao lado da Escola Primária, construída pela Universidade em contrapartida à cidade pela doação do terreno. 

A Escola Primária foi inaugurada em 10 de junho de 1967, enquanto o terreno situado na Bacia do Córrego da Serrinha ganhava a forma do Campus que conhecemos hoje. 

Essa exposição reúne alguns documentos e imagens desses primeiros anos, ainda hoje conservados em três notáveis acervos brasileiros vinculados à UFJF: o Arquivo Central, o Memorial da República Presidente Itamar Franco e o Centro de Conservação da Memória.

São registros importantes, que documentam o andamento de algumas obras, como o prolongamento da antiga avenida Independência (atual Itamar Franco) em direção ao pórtico sul, inaugurado em 1975.

Esses registros são acompanhados de outros, de caráter mais social, que recuperam um pouco da vida e do trabalho na UFJF ao longos dos anos 1960 e 1970. Entre eles, o protesto estudantil de 1966, organizado pelo DCE, em resposta ao episódio que ficou conhecido como Massacre da Praia Vermelha, um marco na história do movimento estudantil e do combate à Ditadura Militar. 

O objetivo dessa exposição é reaver um pouco dessa história, apostando no contraste que esses documentos e fotografias em preto e branco podem produzir na lembrança de todas as pessoas que passaram pela UFJF.

Os pórticos norte e sul não delimitaram mais do que o espaço de um Campus, dentro do qual a UFJF não parou de crescer, atravessando diversos períodos da história brasileira – cada um com suas oportunidades e seus desafios – até chegar aos 60 anos, mais jovem e corajosa do que nunca!

Prédios, becas, acervos, pesquisas, congressos, festivais, diplomas, bolsas e auxílios estudantis, programas sociais e de Pós-Graduação. Tudo isso que hoje está aí um dia existiu apenas como intenção, no campo das ideias, e é o bom cultivo delas que levará a UFJF adiante: uma universidade de excelência, inclusiva, socialmente referenciada e que, nos muitos anos que virão, continuará transformando a vida de milhares de pessoas. 


VESTIBULAR
Vestibular, 1975 ou 1976. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central).

ITAMAR FRANCO
Fotografia da formatura de Itamar Franco na Escola de Engenharia de Juiz de Fora, em 1954. (Acervo: Memorial da República Presidente Itamar Franco)

GAZETA COMERCIAL
Gazeta Comercial, 18/05/1960. Ano XXXVII, nº 10240. (Acervo: Memorial da República Presidente Itamar Franco)

CRIAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE JUIZ DE FORA
Presidente Juscelino Kubitschek assina Lei que cria a Universidade de Juiz de Fora, 23/12/1960. (Acervo: Memorial da República Presidente Itamar Franco)

DOAÇÃO DO TERRENO
Doação de terreno à Universidade de Juiz de Fora pela Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, autorizada pela lei Municipal nº 1895 de 06/08/1963, publicada na Gazeta Comercial em 07/08/1963. (Acervo: Fundo UFJF/Arquivo Central)

BACIA DO CÓRREGO DA SERRINHA
Crianças brincam no terreno onde foi construído o Campus da UFJF, c. 1960. Fotografias doadas por Victor Roberto de Campos Bergo. (Acervo: Centro de Conservação da Memória)

TERRAPLENAGEM
Obras do Campus: com vista do morro do antigo ICHL, c. 1966/1967. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Memorial da República Presidente Itamar Franco).
TERRAPLENAGEM
Obras do Campus: terraplanagem, c. 1967/1968. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Memorial da República Presidente Itamar Franco)
CORRESPONDÊNCIA ENTRE GILSON SALOMÃO E ITAMAR FRANCO
Correspondência Reitoria: Ofícios Expedidos (Jan – Mar/1970). Of. 18/70-R/6, de 07/jan/1970. Reitor:  Gilson Salomão. Prefeito Municipal de Juiz de Fora: Itamar Franco. (Acervo: Fundo UFJF/Arquivo Central)
ESCOLA PRIMÁRIA
Inauguração da Escola de Nível Elementar, 10/06/1967. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)
ESCOLA PRIMÁRIA
Inauguração da Escola de Nível Elementar, 10/06/1967. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)
OBRAS DO CAMPUS
Obras do Campus: com vista da Escola Primária, ICHL, ICBG e ICE, 1969. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central).
OBRAS DO CAMPUS
Obras do Campus: com vista do ICHL, ICBG e ICE (Medição de terreno), c. 1973. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)
ANTIGO ICHL
Alunas no ponto de carona na saída do antigo ICHL, no portão norte, 1973. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)
FACULDADE DE ODONTOLOGIA
Biblioteca da Faculdade de Odontologia, na Rua Espírito Santo, sem data. Fotógrafo: Roberto Dornelas.
(Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)
RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO
Restaurante Universitário do Centro, 1973. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)
ANTIGO ICHL
Estudantes na calçada do antigo ICHL, c. 1974. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)
VESTIBULAR
Vestibular, 1975 ou 1976. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central).
INSCRIÇÃO NO VESTIBULAR
Inscrição no vestibular da UFJF, 1978. Documento cedido por Sandra Maria Silva para o projeto “História da UFJF”. (Acervo: Centro de Conservação da Memória)

VESTIBULAR
Vestibular, 1975 ou 1976. Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central).
Gazeta Comercial, 25/09/1966. Ano XLIII, n. 11917
(Acervo: Memorial da República Presidente Itamar Franco).

TRECHO DA MATÉRIA
“O movimento estudantil hostil ao governo se avoluma e generaliza em todo o país, acirrado pela violência policial. Embora, segundo notícias, o presidente Castelo Branco recomendasse evitar-se violências contra os estudantes, estas são aplicadas pelos esbirros dos governantes estaduais”

REVOLTA ESTUDANTIL DE 1966
Revolta estudantil de 22 de setembro de 1966 (ocupação do entorno da Reitoria). Fotógrafo: Roberto Dornelas. (Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)

ACESSO SUL
Construção do acesso sul (curva do Lacet), c. 1974. Fotógrafo: Roberto Dornelas.
(Acervo: Fundo Fotográfico UFJF/Arquivo Central)

Siga o Memorial